Latest

Encerramento da campanha e total arrecadado

Queremos compartilhar o encerramento da campanha Todos Juntos pelo Japão, em prol das vítimas do tsunami e terremotos que abateram a província de Ibaraki e outras no Japão.

Numa contagem preliminar, confirma-se o recebimento de depósitos, em nome da Associação Centro Social Ibaraki Kenjinkai, por parte de 148 pessoas (R$ 7.335,00) + Evento Japonique/Hoshino (R$ 4.212,00) + Associação Cultural e Esportiva Nipo-brasileira de Jaú (R$ 3.100,00), resultando no montante de  R$ 14.647,00. Falta checar se existem outros depósitos que ainda não foram informados à coordenação da campanha.

A todos que contribuíram para o sucesso desta arrecadação, e também aos que incentivaram esta ação de cidadania, expressamos o nosso profundo e sincero “muito obrigado”. Estejam certos de que, tanto o dinheiro como a listagem com nomes dos doadores, chegarão ao destino pretendido. Singela mostra de fraterna solidariedade para com os irmãos japoneses.

Sinceramente,
Leda Shimabukuro
Milton Nakabayashi
Rene Nakabayashi

Advertisements

Japão produzirá energia com escombros do desastre

O Ministério da Agricultura do Japão planeja utilizar a madeira dos escombros deixados pelo terremoto e o posterior tsunami de 11 de março para gerar eletricidade, informou nesta terça-feira (19) a emissora NHK. O objetivo é compensar o déficit energético esperado para os quentes e úmidos meses de julho, agosto e setembro, quando o consumo de ar-condicionado dispara.

Pelos cálculos do ministério, o desastre deixou quase dois milhões de toneladas de escombros de madeira capazes de produzir cerca de 200 mil quilowatts de energia. Seis usinas de geração elétrica da região de Tóquio e do norte do país demonstraram interesse em transformar os escombros em material próprio para queimar.

O orçamento para a reconstrução que o governo apresentará no fim deste mês no Parlamento (Dieta) inclui 2,5 milhões de euros para a compra de máquinas capazes de retirar os escombros. Tóquio e seus arredores já sofreram cortes de eletricidade nos dias posteriores ao desastre que afetou a central de Fukushima Daiichi, operada pela Tepco (Tokyo Electric Power Company), e que também interrompeu as atividades em outras três usinas nucleares.

O governo estimou um déficit máximo de 15 milhões de quilowatts em regiões abastecidas pela Tepco se o verão deste ano for tão quente quanto o do ano passado. Para atenuar o déficit, o governo japonês lançou no início deste mês um plano para limitar, no horário de pico durante o verão, o consumo de grandes e pequenos usuários em 25% e entre 15% e 20%, respectivamente.

Agora, a Administração estuda a revisão do planejamento, já que na última sexta-feira a Tepco melhorou suas previsões de produção. Além disso, a agência Kyodo informou que o governo do Kuwait decidiu doar ao Japão cinco milhões de barris de petróleo, avaliados em R$ 866,25 milhões (45 bilhões de ienes).

O Japão, energeticamente muito dependente do exterior, importa quatro milhões de barris de petróleo por dia.

Fonte: R7

Aproxima-se de 13 mil número de mortos por terremoto no Japão

O número de mortos pelo terremoto e o posterior tsunami do dia 11 de março no nordeste do Japão aumentou neste domingo para 12.985, ao mesmo tempo em que outras 14.809 pessoas continuam desaparecidas, segundo a último apuração policial.

Além disso, em mais de 2.300 refúgios temporários continuam evacuadas mais de 153 mil pessoas provenientes em sua maioria das províncias de Miyagi, Iwate e Fukushima, as mais devastadas pela catástrofe.

Em Miyagi, os mortos chegam a 7.929 e há 6.578 pessoas sem localizar, enquanto em Iwate há 3.783 mortos e 4.804 desaparecidos e em Fukushima as vítimas mortais são 1.211 e os desaparecidos 3.423.

A maioria dos corpos achados até o momento foi identificada, enquanto o jornal Asahi informou que mais da metade dos falecidos com identidade confirmada eram maiores de 65 anos.

Nas zonas rurais do nordeste japonês moravam um grande número de idosos, que foram surpreendidos pelo tsunami devido a suas dificuldades para se deslocar.

A proporção de idosos de 65 anos nas províncias de Fukushima, Miyagi e Iwate ronda os 25%, o que mostra como o desastre tirou a vida da população de mais idade.

Segundo a televisão NHK, o número de mortos poderia aumentar, já que as autoridades locais ainda não puderam calcular o número exato de desaparecidos em algumas zonas afetadas no litoral.

Fonte: Terra

Japão ampliará áreas de segurança em torno da usina nuclear de Fukushima

O governo do Japão anunciou nesta segunda-feira que ampliará as áreas de segurança em torno da central nuclear de Fukushima Daiichi no prazo de um mês em função da radioatividade que se detectar em diferentes localidades.

O ministro porta-voz japonês, Yukio Edano, disse que os novos planos de segurança serão aplicados a localidades como Iitate, a 40 quilômetros da central, ou ao povoado de Minami Soma, onde se mediram níveis de radioatividade superiores aos permitidos.

Até o momento, o governo mantém uma área de exclusão de 20 quilômetros em torno da usina nuclear e recomenda aos moradores que se encontrem entre 20 e 30 quilômetros da usina que permaneçam em suas casas ou deixem a região.

Edano disse que as novas retiradas afetarão, por enquanto, meia dezena de localidades nas quais o nível de radioatividade pode ser prejudicial para a saúde se os cidadãos receberem exposição entre seis meses e um ano.

O porta-voz do governo detalhou que, ao contrário daqueles povoados em um raio de 20 quilômetros em torno da central, não se descarta que os novos retirados possam retornar a suas casas se a situação melhorar.

Por outro lado, recomendou que as mulheres grávidas, os doentes e as crianças deixem as áreas situadas entre 20 e 30 quilômetros da central.

O governo japonês fixava o limite de 50 milisievert de exposição anual para retirar as pessoas de uma região, embora a Agência de Segurança Nuclear do Japão tivesse recomendado esvaziar as áreas com um nível anual de radiação de 20 milisievert.

Apesar de estar mais afastada de Fukushima que outros povoados, a localidade de Iitate, de cerca de 7.000 habitantes, é uma das mais afetadas pela radioatividade, com níveis de contaminação que chegam ao dobro do permitido.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) tinha recomendado, no final de março, esvaziar esse povoado, um apelo ao qual se tinham somado organizações ambientalistas como Greenpeace.

Edano insistiu que os novos planos de retirada serão realizados levando em conta as recomendações da AIEA e da Agência de Segurança Nuclear.

Fonte: Folha

SING

A banda pediu aos fãs que enviassem imagens da tragédia no Japão e também mensagens de apoio ao país. O material virou o clipe dessa nova versão da música “Sing”, que você confere aí embaixo. A renda com a venda do single será revertida a fundos de apoio às vítimas. Para assistir ao clipe, acesse www.mychemicalromance.com/japan.

Arrecadação da Venda Especial – Japonique e Rachel Hoshino

A Venda Especial de kokeshi dolls desenvolvidas pela designer Rachel Hoshino foi um sucesso! Foram vendidas 82 bonecas e o total arrecadado foi de R$ 4.212,00. Nosso muito obrigado a todos que prestigiaram o evento, em especial à loja Japonique e a designer Rachel Hoshino que abraçaram esta nobre causa e apoiaram a nossa campanha!

Alerta de tsunami emitido após novo terremoto no Japão

Um alerta de tsunami para o nordeste do Japão foi emitido nesta quinta-feira após um terrmoto de magnitude 7.4 ter atingido o país.

O tsunami teria ondas de até um metro de altura, segundo o alerta. Aqueles que estão na zona de risco receberam orientação para buscarem abrigo em terras mais altas, segundo a TV do Japão.

A área foi devastada por um terremoto e um tsunami no mês passado, que danificou severamente a usina nuclear de Fukushima Daiichi.

O terremoto desta quinta-feira teve epicentro a 40 quilômetros da costa, mas foi sentido até Tóquio.

A Tokyo Electric Power Company (Tepco), que opera Fukushima, disse que está verificando a situação nos prédios da usina danificados no último terremoto.

Fonte: BBC